>>>Já ouviu falar em Neofobia Alimentar?
ARTIGOS
Olhamos
por si

O Autismo e a intervenção dos interlocutores

Estratégias de comunicação com bebés

Treino de Alimentação

Já ouviu falar em Neofobia Alimentar?

ES-artigo-NOFOBIA

A Neofobia Alimentar trata-se de um comportamento característico de uma etapa dodesenvolvimento infantil. É o medo ou a recusa em provar os alimentos desconhecidos.

Aparentemente o ato de comer é entendido como um processo muito simples, de apenascolocar a comida na boca, mastigar e engolir. Mas essa não é a realidade, sendo um verdadeiro desafio para muitas pessoas, pois requer a cooperação e a coordenação de uma grande quantidade de sistemas corporais.

A Neofobia Alimentar é uma reação inata de segurança, diante de potenciais perigos que o alimento possa estar sujeito, daí a atitude ser de precaução, evitando-os sempre que possível e favorecendo os alimentos que são familiares, por isso, somente após serem experimentados um certo número de vezes, são aceites como alimentos seguros.

Geralmente aparece em dois períodos críticos da idade: durante o desmame (4-8 meses) e durante o período de autonomia (15-36 meses). No primeiro, o vínculo que existe entre mãefilho favorece a superação neofóbica à medida que a criança se sente segura/protegida pelos pais. Daí o período mais problemático ser por volta dos 15 meses. Este comportamento pode afetar a qualidade e variedade da ingestão alimentar das crianças, com consequências para a sua saúde na infância, mas também na fase adulta.

Estudos mostram que a atitude dos pais em relação ao comportamento da criança tem um impacto considerável no desenvolvimento das preferências alimentares. Assim, para estimular o desenvolvimento de uma alimentação benéfica é importante ter em mente que os pais têm um pré-conceito em relação aos alimentos que oferecem. Por exemplo, uma atitude restritiva em relação a alimentos saborosos faz com que a sua preferência aumente, enquanto uma atitude de impor certos alimentos tende a ter o efeito oposto. Por isso, é importante que sejam criadas experiências positivas associadas à introdução de novos alimentos. Nestes casos, os comportamentos por imitação obtêm bons resultados, como por exemplo, a criança observar os pais a comerem esses alimentos, mostrando sinais de que gostam, é muito provável que as crianças concordem em experimentá-los.

JUNTE-SE A NÓS

NEWSLETTER

Contamos com os profissionais especializados para o ajudar.